Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quatro-Quatro-Dois



Sábado, 01.09.12

Sport Lisboa e Benfica Review

 

 

Discutir futebol é daquelas coisas que de tão simples que são, se torna o passatempo de muito boa gente. Para nós aqui em Portugal ainda vai aquecendo a alma de um País mergulhado numa crise financeira sem precedentes na última década. É fácil, é barato e dará certamente alguns milhões a quem vive desta indústria que nos inebria quase todos os dias.

Sem demoras, e aproveitando a conversa dos milhões, sigo rapidamente para o meu lugar no Estádio da Luz e analiso com estes olhos de adepto (e nada mais do que isso) a minha humilde visão do plantel do Sport Lisboa e Benfica e o que posso esperar para esta época.

 

Guarda-Redes

 

Nesta posição o Benfica está garantido. Se Artur é o titular indiscutível, Paulo Lopes chega com dois motivos: ser formado no Benfica e (ao contrário do Eduardo) estar completamente identificado com o seu papel no plantel…o banco e uns jogos de competições menores. Nada a dizer desta aquisição. Como 3º Guarda Redes temos o jovem Mika que está a rodar (e bem) na equipa B. Entre os postes estamos seguros…

 

Defesa

 

Na linha defensiva do Benfica começam os primeiros problemas. Os 4 centrais oferecem qualidade. A dupla titular é das melhores que vi no Benfica (Luisão e Garay) e apesar da forte disparidade de qualidade para os suplentes (Jardel e Miguel Vitor) não acredito que seja aí o maior dos nossos problemas. Ainda por cima os suplentes têm vindo a jogar na Equipa B. Se pelos motivos certos (rodar e dar ritmo) se pelos motivos errados (possível suspensão de Luisão) o que porventura dará garantia de ritmo para qualquer emergência.

 

Nas linhas laterais a questão é mais complicada.

 

Se do lado direito Maxi Pereira garante qualidade, a falta de uma alternativa ao lugar pode ser penosa. É dos mais básicos compêndios que um bom plantel pressupõe no mínimo dois jogadores por posição. As alternativas a Maxi Pereira neste momento são duas: um dos melhores médios que já vi no Benfica (Witsel) e um míudo saído dos juniores que dá os primeiros passos na equipa B (João Cancelo). Falhada a contratação de Sílvio (que além deste problema resolveria em parte o da lateral esquerda) o Benfica não tem uma alternativa credível para o lugar. Este problema não é de hoje (o próprio Maxi veio para jogar a médio interior direito) e deveria ser objeto de reflexão por pessoas responsáveis. Uma lesão, um castigo, uma quebra de rendimento e…

 

Na lateral esquerda não existe uma solução desde a adaptação de Fábio Coentrão (umas das melhores coisas que Jorge Jesus fez em toda a sua carreira). Entendo a aposta em Melgarejo, mas parece-me demasiado arriscada. Acredito que Melgarejo possa ser uma solução mas não no momento. É jovem, tem margem de progressão e tem sobretudo qualidades no campo da velocidade e do passe. Falta-lhe tudo o resto. Deveria talvez rodar na equipa B uns tempos para se adaptar à posição enquanto outro lateral esquerdo de raiz fizesse o lugar na primeira equipa. Talvez fosse essa a ideia que o Benfica teve ao tentar o empréstimo de Sílvio que por algum motivo não se concretizou. Não sei o que oferece Luisinho mas duvido que tenha qualidade para ser titular do Benfica. Resta-nos aceitar a “teimosia” de Jorge Jesus em Melgarejo e cruzar os dedos…e roer as unhas.

 

Meio campo

 

Há uns tempos atrás disse que nos faltava um médio defensivo. Não acredito muito na capacidade de Matic para ser titular do Benfica e faltava uma alternativa a Javi Garcia de forma a dar-lhe um pouco de humildade e mais concentração na forma em que jogava. Esperava uma época com alguns sobressaltos disciplinares para o espanhol… E chega o último dia de transferências e o Manchester City vem a Lisboa contratar Javi Garcia. Consigo entender o negócio mas não entendo a ausência de um "suplente".

 

Neste momento, para a posição “6” o Benfica apenas tem um jogador na sua principal equipa: Matic. Solução? Acredito que passe por um recuo de Axel Witsel e um meio campo formado por 2 extremos, Witsel e Carlos Martins / Aimar. Tirando o problema no miolo com a saída de Javi Garcia, o resto parece-me até demasiado. Gaitan, Nolito e Bruno César mantêm-se. Salvio regressa a uma casa que conhece e é a aquisição mais sonante do defeso. Enzo Perez volta e parece mais motivado (qualidade já mostrou que tem) e Ola John é neste momento a principal incógnita. Confesso que me impressionou quando pelo Twente defrontou o Benfica, mas neste momento penso que até se justificaria o seu empréstimo. Talvez a “price-tag” com que veio dificultou esse processo… a verdade é que até ao momento nada mostrou que justificasse a sua compra.

 

Ataque

 

Sector com demasiadas entradas e saídas. Saíram Saviola (já se justificava) e Nelson Oliveira (entendo o empréstimo e espero que volte um jogador mais maduro). Entraram e saíram Michel (para o Braga) e Hugo Vieira (para o Gijon…da II liga espanhola) e pelos vistos nos últimos minutos do mercado de transferências o Benfica comprou Lima ao Braga. Ficaram Cardozo (até ver… que o Mercado russo ainda mexe e não acredito que Lima venha para ser suplente) e Rodrigo. E Mora saiu apesar da pré-época que justificava a permanência e ficou Kardec. Não entendo. 

 

 

Resumindo: um plantel mal construído e uma gestão desportivamente imprudente que nos pode custar caro. Talvez chegue para ser campeão em Portugal (apesar de considerar que o FC Porto é neste momento o favorito, mesmo com Vítor Pereira, a não ser que o mercado Russo “roube” Hulk ou Moutinho) mas provavelmente não chegará para mais uma boa prestação europeia à semelhança de anos anteriores. Vamos passar a época a confiar demasiado na ausência de lesões e em adaptações. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado por Ricardo às 01:10




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Visitas